quarta-feira, 29 de julho de 2015

à mesa.

massa com pesto, espinafres e tomate.
arroz com cenoura, milho, brócolos e açafrão.
pessoas pequeninas gostam de douradinhos.
frango grelhado, legumes assados com miso, edamame. [e ninguém tocou na beringela.]
a favorita é a de brócolos.
o que sobrou e frango cozido.
arroz com feijão e brócolos.
lentilhas, massinhas, brócolos e cenoura.
wrap de feijão preto, tomate, alface, pepino e milho.
salada fresca é o que apetece.
gelado de banana e morangos.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

estes dias.



agora somos 5.

o tobias.


[apresentando o tobias]: chegámos ao canil ao fim da tarde. estava muito calor. a senhora que nos abriu a porta pediu-nos para pegarmos na maria e no miguel ao colo para eles não se assustarem com os cães soltos. naquele espaço: 630 cães. ela levou-nos até ao sítio onde estavam todos os cães mais novos. neste processo de decisão o que nos separava era isto: eu queria um cão mais velho, eles os três queriam um cachorro. depois percebi: eu já tive cachorros na minha vida, eles não tiveram nenhum. não sei quantos cães estavam ali, talvez 20. eles correram todos para os nossos pés, saltaram para as nossas pernas, desapertaram-lhe os atacadores, lamberam as pernas do miguel e a cara da maria. e todos ladravam e abanavam as caudas. a senhora aconselhou-nos a escolher uma cadela. e havia tantas e tão bonitas. pegámos numa, depois outra. e depois vi o tobias: afastado de todos, alheio à nossa presença, escavou um buraco e deitou-se. perguntei se ele era sempre assim. ela pegou nele e enquanto se aproximava disse: ele é assim tristinho.
e foi assim que escolhemos o tobias.
ele está connosco há quase 48 horas: às vezes ainda treme quando ouve um barulho diferente. enrosca o focinho no nosso pescoço quando lhe pegamos ao colo. dorme toda a noite na cama dele sem fazer barulho. abana o rabo e rodopia quando nos vê de manhã. ele ladrou uma vez: era uma mosca. ele não nos morde os dedos com os seus dentinhos afiados, só os lambe. quando eles dormem as 3 horas de sesta, ele dorme também [e eu que contava com a companhia]. ele não corre pela casa ou salta para o sofá. ele está aqui há pouco tempo mas percebe-se logo: ele é um cachorro diferente. o mais tranquilo que eu já conheci. há 3 semanas ele foi deixado numa caixa de cartão. quem o encontrou disse que estava muito magro e sujo. espero que a partir de agora ele seja só muito feliz. nós estamos muito felizes por tê-lo aqui.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

o sonho.

sentados à mesa ela pergunta:
- mãe, tu lembras-te quando nós andámos no metro?
eu lembrava-me: tinham passado 5 dias.
ela continuou: tu lembras-te quando nós andámos no metro e estava lá um senhor que não tinha olhos?
lembro-me. [ela viu-o, pensei que ela não o tinha visto].
- porque é que ele não tinha olhos?
- ele é cego. significa que ele não consegue ver.
- eu às vezes vejo o senhor.
- vês?
- às vezes quando nós vamos para a cama eu vejo o senhor.
- sonhas? tu sonhas com o senhor?
- o que é sonhar?
- é quando vamos dormir e pensamos em coisas. e às vezes parece que é verdade, que as coisas estão a acontecer, mas é só um sonho. tu sonhas com o senhor?
- eu sonho com o senhor.
- e tens medo?
- não tenho medo. ele fala comigo e é meu amigo.
- isso é bom.
- eu sonhei foi mamã?
- foi maria, sonhaste.
- eu depois vou sonhar com ele outra vez. assim quando eu sonho ele tem olhos.


segunda-feira, 6 de julho de 2015

dicas de fotografia de uma amadora [fotografar pequeninos.]

não sou fotógrafa, mas já que recebi alguns pedidos de dicas para fotografar os mais pequeninos vou partilhar com vocês os meus pequenos truques. sempre gostei de fotografia, quando era pré-adolescente comprava revistas de fotografia e chamava as minhas amigas para fazerem de modelos. e tantos anos depois continua  a ser uma das coisas mais importantes para mim. hoje em dia fotografar a maria e o miguel é uma paixão. deixo-vos então algumas dicas de amadora para fotografarem os vossos pequeninos.

1. andem sempre com a máquina.
hoje em dia já há muito telemóveis que tiram boas fotografias, se tiverem um desses esta parte é mais fácil. eu ainda uso um que não tem esta função por isso ando sempre com a minha máquina na mochila. ela é grande e pesada e dá-me cabo das costas, mas não saio sem ela. já me esqueci muitas vezes do telemóvel, das chaves e da carteira: nunca me esqueci da minha máquina. nunca sabemos se vai acontecer alguma coisa espectacular, nem que seja só no caminho até à padaria. e tirar fotografias em sítios comuns, onde vamos no dia-a-dia resulta muito bem. fotografias no supermercado, na praça ou  no metro são das minhas preferidas.

2. usem filtros.
as minhas fotografias não ficam sempre com as cores perfeitas. e embora eu prefira só ter de mexer um bocadinho na exposição ou no contraste e deixar a fotografia o mais natural possível, às vezes um filtro resolve logo o assunto. existem vários sites que podem utilizar. o meu preferido é o befunky, infelizmente há uns meses os meus filtros favoritos deixaram de ser gratuitos, por isso agora uso mais o photocat. também têm o pixlr e o picmonkey. deixo-vos alguns exemplos de fotografias com e sem filtro.
  a primeira sem filtro, a segunda com filtro.
 a primeira sem filtro, a segunda com filtro.
 a primeira sem filtro, a segunda com filtro.
 a primeira sem filtro, a segunda com filtro.
3. escolham preto e branco.
pessoalmente quando se trata de crianças prefiro a fotografia a cores , mas às vezes o preto e branco resulta muito bem. também opto pelo preto e branco quando a fotografia não ficou com as melhores cores.

4. sejam discretos.
observem-nos em silêncio. as fotografias ficam mais naturais e captam a essência do momento. com os meus nunca digo "faz assim" ou "olha para mim".

5. fotografar de costas.
gosto muito de os fotografar de costas. nestas fotografias podemos ver a perspectiva deles, aquilo que eles estavam a observar.

6. mostrem como eles são pequeninos.
não há nada mais encantador que vê-los muito pequeninos e guardá-los assim. os pés pequeninos a espreitar, uma taça que lhes cobre a cara, eles em cima de um balcão, eles numa mesa de crescidos. sempre que tiverem a oportunidade realcem isso mesmo: como eles eram pequeninos. afastem-se e mostrem o que os rodeia.
 
um exemplo: gosto desta fotografia do miguel a brincar com água
 mas gosto mais desta, que mostra como ele fica pequenino ao pé do bebedouro.

7. aproveitem a luz que têm.
e brinquem com ela. uma boa luz é meio caminho andado para conseguirem boas fotografias. 

nunca uso flash: aqui têm uma fotografia com flash. fica estranha não é?
 e aqui sem flash.

8. conversem com eles.
se quiserem tirar uma fotografia com eles a olhar para vocês conversem com eles. normalmente digo alguma coisa que lhes prenda a atenção como: sabem o que é os dinossauros gostavam muito de fazer? e eles ficam a olhar para mim enquanto eu conto. ou digo alguma coisa para eles se rirem.
9. perspectiva.
a maior parte das fotografias tiro de joelhos para estar à altura deles. fotografias deles tiradas à nossa altura, na minha opinião, não ficam tão bem. depois noutras situações ponho-me em cima da cama ou de uma cadeira ou deito-me no chão.
 em cima da cama.
 de joelhos.
 em cima do sofá.
 de joelhos.
deitada.
esta resultou mesmo eu ficando à minha altura.

esta não: ficava melhor se eu me tivesse ajoelhado.

10. tirem fotografias diferentes.
às vezes as menos óbvias são as mais engraçadas.



 
e mais algumas coisas:
- quando vou a algum lugar tiro logo algumas fotografias de teste, aí acerto tudo o que preciso e fico pronta para apanhar o momento certo, sem ter luz a mais ou a menos.
- às vezes tiro 50 fotografias e só meia dúzia é que fica bem.
- e inspirem-se nos outros: não tenho instagram mas sigo algumas mães que me inspiram muito.

como podem ver eu não percebo nada de termos técnicos, mas espero que alguma destas dicas vos seja útil. obrigada.