quinta-feira, 27 de junho de 2013

calor. calor. calor.

calor a mais para mim.
mas gosto de os ver de fralda a passear pela casa.
 


o bolo.

quando a maria fez 2 anos e cantámos os parabéns e cortámos o bolo, ela disse que esta era para o papá. e o papá não estava. mas agora, uns dias antes do pai partir, descongelei o desejo da maria.
e ficou um pedaço a menos de saudade.
 
 

11 dias.

passámos 11 dias com o pai. aproveitámos bem. e quando sabemos que o tempo corre contra nós tudo é mais fácil: as birras são mais fáceis. quebrar a rotina é mais fácil. dizer amo-te é mais fácil.
foram só 11 dias mas aproveitámos bem. e um dia serão muitos mais dias. tantos que nem os vamos conseguir contar.
 

 

 
 
 
 
 



segunda-feira, 17 de junho de 2013

a visita.

esperámos. esperámos. e esperámos. até que um dia não podiamos esperar mais. as saudades eram muitas. eram tantas que já doiam. e então ele comprou um bilhete. esperou o tempo que conseguiu. esperou o tempo que foi possível, mas as saudades eram muitas. tantas que os dias que veio passar connosco não vão ser suficientes. é um amor tão grande que o leva a estar longe de quem ama. um amor que me o faz amar ainda mais. porque eu não conseguia. não era capaz.

e o sorriso dela. a felicidade da maria quando percebeu que iamos buscar o pai.
e depois ele chegou: as lágrimas dele, as gargalhadas dela.
alegria pura. e tão doce.
 
 
 

domingo, 9 de junho de 2013