segunda-feira, 9 de setembro de 2013

um irmão.

a organizar tudo para a nossa mudança encontrei uma carta.
escrevi-lhe esta carta quando descobri que estava grávida do miguel. ele estava a trabalhar. quando descobri que estava grávida do miguel a maria dormia ao meu colo. ele andava ansioso. eu estava calma.

escrevi:
estou grávida. preciso que fiques calmo. vou precisar de ti. fica feliz. respira fundo porque nós vamos conseguir. vamos ter uma boa vida, devagarinho vamos lá tá?

tudo o que precisamos é muito amor e muita calma.

ele chegou de madrugada. eu dormia com a maria ao lado. ela estava quase a fazer um ano. ele acordou-me com um beijo. ele disse-me ao ouvido: vamos conseguir. estou feliz.

e depois eu deixei de estar calma.
fiz a ecografia e disseram-me que estava no final do terceiro mês. tinha meia dúzia de meses pela frente. a maria estava quase a fazer uma ano: quando eles fazem um ano sentimo-nos assim. é um momento de emoções para qualquer mãe. olhava para ela e convencia-me que não ia ser capaz. ela ainda precisava tanto de mim. era só um bebé. naquela altura eu achava que a maria ia ter menos. menos do que merecia.

eu estava a pensar demasiado.
assim que o miguel nasceu eu percebi que tinha pensado demasiado.

um irmão. dei-lhe um irmão! um irmão é o melhor que eu lhe podia ter dado. é mais amor.
vejo isso cada vez que ele olha para ela. vejo isso cada vez que ela fala com ele.
ela trata-o com carinho. são amigos. brincam. abraçam-se. adoram-se.

a maria tem agora mais, muito mais.
ela é uma menina mais feliz: tem um irmão.

5 comentários:

  1. Durante a grande maioria da minha infância e adolescência a vida não foi muito fácil para a minha família, financeiramente as coisas só deixaram de ser francamente difíceis há uns anos. Mas olho para cada um dos meus irmãos mais novos e sei que nada poderia ter pago ou substituído a riqueza daquele amor, é mesmo a maior das minhas sortes na vida.

    Pelo que sim, é uma grande verdade que deram à maria o melhor presente da vida dela.

    ResponderEliminar
  2. Tão verdade! Tenho 2 meninas com uma diferença de 26 meses e quando descobri que estava grávida da mais nova foi mesmo esse...e se eu não sou capaz de amar a mais velha como ela merece? Mas ela é Muito mais feliz porque tem a irmã! Parabéns pelo blog .

    ResponderEliminar
  3. Adoro estes teus textos. Transpiram amor! :)

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a Jo, os teus textos inspiram e transpiram amor!
    Digo sempre que outro filho só daqui a 5 ou 6 anos...mas tens razão. Eles brincam, amam-se... há amor de sobra!

    ResponderEliminar