sábado, 21 de julho de 2012

as pessoas.


quando eu fui para a universidade estudei muito, fiz amigos, apanhei bebedeiras, entrei em debates, partilhei casas, fiz directas, diverti-me. as pessoas elogiavam a minha adaptação, o meu espírito académico.
foi assim durante 5 anos.
quando eu me tornei empregada de mesa atendi clientes chatos, lavei sanitas, trabalhei 12 horas por dia, ganhei 2,56 euros à hora. as pessoas elogiavam a minha dedicação, o meu esforço.
foi assim durante 4 anos.
quando eu decidi ser mãe estive 9 meses de repouso para ela nascer, tive dores de parto, vi o primeiro sorriso, a primeira queda, o primeiro passo. as pessoas dizem que eu me devia desapegar dela, que a devia deixar com outras pessoas, que devia deixar de amamentar, que não a devia adormecer, que a devia deixar chorar.
e eu só sou mãe há 14 meses.

é por isso que eu não percebo as pessoas.